Avançar para o conteúdo principal

Aqui mora a felicidade








  (Photo by Anthony Legrand on Unsplash)

Espreitei, a medo, pela porta e vi que ali morava a felicidade. Tinha todas as cores do mundo e dançava ao som do vento. Tentei entrar, de fininho, mas sem sucesso! Sentia que algo me amarrava, me segurava com a convicção de que eu não podia estar perto, bem perto, da felicidade!
Quando dei por mim, debatia-me contra forças que nem eu sabia identificar. Tamanha audácia de quem não me deixava estar pertinho da felicidade e com ela bailar! E a felicidade, do outro lado, parada, bloqueada, parecia-me cada vez mais longínqua. Estava à espera que eu lhe estendesse a mão. Bem tentava, mas a força do meu querer não chegava. Era como se me aguilhoasse o coração e, com a dor, recuava. Os segundos em que me debatia, tornaram-se horas, dias, meses, anos! E cada vez ficava com menos forças.
Até que a felicidade olhou para mim, diretamente para mim e falou-me ao coração: olha para Ti meu bem, ouve o teu coração, não lutes mais e deixa-te vir até mim! Mas vem devagarinho, como se o tempo abrandasse e fosse só nosso.
Fechei os olhos e aventurei-me. Deixei-me levar pela franqueza daquele olhar singelo e cheio de luz. Perdi-me naquele olhar! Transmitia-me coragem, ânimo, ambição, confiança. As cores da felicidade envolviam o meu corpo, calmamente. Sentia arrepios de bem-estar!
Afinal era eu que criava as amarras do meu coração. Era eu que, por medo, não queria ir ter com a felicidade. E ela ali, tão perto!
Havia sofrido outrora! De tal maneira que ser feliz me parecia impossível. A dor e a desilusão haviam sido dilacerantes. Negava, em absoluto, qualquer possibilidade de ir ter com a felicidade, por mais perto que ela estivesse.
Mas com audácia e bravura, abri caminho. Enlacei a felicidade como quem abraça a vida. Com os olhos de um primeiro amor, sem negações e sem receios, mas com a aspiração de ser feliz, de que mereço ser feliz.
Inspirei-me e fui feliz…mais uma vez feliz!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Somos todos crianças

❦ Já olharam para uma criança quando está a aprender a dar os primeiros passos? Ela começa-se a levantar e cai. E quando cai, levanta-se novamente e volta a tentar. Cai e tenta sempre até conseguir. Nunca pensa “isto não é para mim” ou “eu não vou conseguir”. A criança cai inúmeras vezes, tantas quantas forem necessárias para começar a caminhar. E a verdade é que nunca desiste e, finalmente, atinge o seu objetivo. Temos de olhar mais para as crianças e até aprender com elas. Devemos aprender a cair como as crianças, sem nunca desistir. Se caímos uma vez, levantamo-nos. Voltamos a cair e persistimos, sem nunca desistir. Garanto-vos que vão conseguir. Na vida não é aquele que espera que consegue. É que aquele que luta, que insiste, que não desanima, que enfrenta, que acredita! Eu acredito em mim. Acredito em vocês. Acreditem vocês também! ❧

Perceção da vida

"Eu admiro aqueles que conseguem sorrir com os problemas, reunir forças na angústia, e ganhar coragem na reflexão. É coisa de pequenas mentes encolher-se, mas aquele cujo coração é firme, e cuja consciência aprova sua conduta, perseguirá seus princípios até à morte." - Thomas Paine

Acredito que nada acontece na nossa vida por acaso e acredito mais ainda quando aparecem ou reaparecem pessoas na nossa vida que são pequenos flashes de luz, que nos abrem caminhos e mostram-nos novas perspetivas. É tão bom termos pessoas assim na nossa vida!
Pessoas que são capazes de nos roubar sorrisos, de nos fazer voltar a abraçar a vida. De sentirmos que tudo na nossa vida é importante, mas mais importante somos nós. Que mais importante é o nosso coração, que tem que estar bem e feliz.
Que fazem com que voltemos a acreditar em nós, que nos mostram outra perceção da vida, há muito perdida.
Todos temos momentos em que nos perdemos. Deixamo-nos levar por pensamentos negativos, o que torna a vida ab…

transparecer ou sentir

[Texto de Sofia Freitas, vencedora do passatempo no Blogs de Portugal Sigam o seu maravilhoso Blog...o outro lado de Sofia  https://ooutroladodesofia.blogspot.com/ ]

Calma, inspira bem fundo. Ouve, morde a língua se for preciso mas, ouve. Não fales, não podes falar.
Põem um sorriso, finge uma gargalhada se necessário.
«Porquê?»  Porque afinal, está tudo bem.
Aliás não está, mas tem de estar. Ninguém se importa. Ninguém faz um esforço para perceber, ninguém se vai por no teu lugar por mais que implores.
Então voltamos nós ao mesmo, não chores, podes passar noites acordado, mas esforça-te para transpareceres que está tudo bem. Fazes tudo o que te pedirem, esgotas-te, quebras-te, prejudicas-te, dá-lhes tudo o que quiserem.
Sim podes fazer isso tudo, podes tentar ser uma máquina, mas não o conseguiras por muito tempo. Até uma máquina entra em curto-circuito.
Não és de ferro, tens sentimentos, tens coração, tu sangras, tens um corpo, és feito de pele e osso, tens os teus limites. Por mais que…