Avançar para o conteúdo principal

Aqui mora a felicidade








  (Photo by Anthony Legrand on Unsplash)

Espreitei, a medo, pela porta e vi que ali morava a felicidade. Tinha todas as cores do mundo e dançava ao som do vento. Tentei entrar, de fininho, mas sem sucesso! Sentia que algo me amarrava, me segurava com a convicção de que eu não podia estar perto, bem perto, da felicidade!
Quando dei por mim, debatia-me contra forças que nem eu sabia identificar. Tamanha audácia de quem não me deixava estar pertinho da felicidade e com ela bailar! E a felicidade, do outro lado, parada, bloqueada, parecia-me cada vez mais longínqua. Estava à espera que eu lhe estendesse a mão. Bem tentava, mas a força do meu querer não chegava. Era como se me aguilhoasse o coração e, com a dor, recuava. Os segundos em que me debatia, tornaram-se horas, dias, meses, anos! E cada vez ficava com menos forças.
Até que a felicidade olhou para mim, diretamente para mim e falou-me ao coração: olha para Ti meu bem, ouve o teu coração, não lutes mais e deixa-te vir até mim! Mas vem devagarinho, como se o tempo abrandasse e fosse só nosso.
Fechei os olhos e aventurei-me. Deixei-me levar pela franqueza daquele olhar singelo e cheio de luz. Perdi-me naquele olhar! Transmitia-me coragem, ânimo, ambição, confiança. As cores da felicidade envolviam o meu corpo, calmamente. Sentia arrepios de bem-estar!
Afinal era eu que criava as amarras do meu coração. Era eu que, por medo, não queria ir ter com a felicidade. E ela ali, tão perto!
Havia sofrido outrora! De tal maneira que ser feliz me parecia impossível. A dor e a desilusão haviam sido dilacerantes. Negava, em absoluto, qualquer possibilidade de ir ter com a felicidade, por mais perto que ela estivesse.
Mas com audácia e bravura, abri caminho. Enlacei a felicidade como quem abraça a vida. Com os olhos de um primeiro amor, sem negações e sem receios, mas com a aspiração de ser feliz, de que mereço ser feliz.
Inspirei-me e fui feliz…mais uma vez feliz!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

o teu amor

Somos todos crianças

❦ Já olharam para uma criança quando está a aprender a dar os primeiros passos? Ela começa-se a levantar e cai. E quando cai, levanta-se novamente e volta a tentar. Cai e tenta sempre até conseguir. Nunca pensa “isto não é para mim” ou “eu não vou conseguir”. A criança cai inúmeras vezes, tantas quantas forem necessárias para começar a caminhar. E a verdade é que nunca desiste e, finalmente, atinge o seu objetivo. Temos de olhar mais para as crianças e até aprender com elas. Devemos aprender a cair como as crianças, sem nunca desistir. Se caímos uma vez, levantamo-nos. Voltamos a cair e persistimos, sem nunca desistir. Garanto-vos que vão conseguir. Na vida não é aquele que espera que consegue. É que aquele que luta, que insiste, que não desanima, que enfrenta, que acredita! Eu acredito em mim. Acredito em vocês. Acreditem vocês também! ❧

O meu caminho és Tu

Quem disse que quando se ama, não se pode amar mais e mais, não sabia o que é o amor! Porque o amor que sinto por ti, todos os dias cresce, dá de si e nos abraça calorosamente. É estar, sempre, em perfeita sintonia, nas palavras, nos sentidos, enfim, no amor. Amo-te sempre, todos os dias, e cada vez mais. O coração transborda de tanto amor e quando grita por ti tu vens. Tu vens sempre, meu amor! E quando penso que não te posso amar mais…amo-te sempre mais um bocadinho! Amo-te infindavelmente, eternamente, loucamente, para sempre! O meu caminho és tu, serás sempre tu, meu amor!